Brasil, o país das ilusões passageiras

Até 17 dias atrás estávamos vivendo dias de dilemas políticos e financeiros com a crise na economia brasileira, perturbada e agravada pelo espólio da greve dos caminhoneiros e pelos roubos, furtos e desvios das verbas públicas cometidas por Lula e seus asseclas do PT, e também vivíamos dias de assombros com as descobertas escandalosas da Lava-Jato.

Tudo isso mudou como num passe de mágica e o Brasil passou a fazer parte do primeiro mundo, mas somente no imaginário popular

A crise na economia ‘acabou’ ou foi deixada de lado, os roubos ‘acabaram’ ou foram relegados a um patamar inferior e as mazelas da saúde se dissiparam e o SUS e os postos de saúde estão iguais ao reino de Alice, é o País das Maravilhas, e por que tudo isso aconteceu?

Começou a Copa do Mundo na Rússia.

E numa metamorfose intergalática (por favor, percebam a ironia) o brasileiro passou a ter o incólume cérebro do tamanho da massa cinzenta de um bicho-preguiça.

Esse animal simpático também conhecido como Bradypus variegatus, espécie típica da Amazônia, possui um cérebro do tamanho de uma azeitona. Levando em consideração as proporções de seu corpo, é um dos animais com o menor cérebro em todo o mundo, igual ao cérebro do povo brasileiro.

Estou ofendendo os meus irmãos brasileiros? NÃO! Longe de mim tal afronta, pois não sou desse espécie que ofende os seus semelhantes, eu estou apenas constatando o óbvio: Começou a copa e o povo brasileiro ‘esqueceu’ de como está a nossa nação.

E nessa euforia coletiva, quase como uma catarse nacional, causada pela competição mundial, o STF está deitando e rolando e libertando criminosos condenados sem que o povo reaja e faça manifestações, inocentando as ‘gleisis’ e as ‘hoffmanns’ e até a câmara e o senado estão delirando pois o povo brasileiro, com o seu cérebro do tamanho de uma azeitona, está esquecendo dos maus políticos e de suas desventuras. E eles agradecem ao Infantino e ao Putin.

Ontem (27) o povo brasileiro comemorou a eliminação da poderosa Alemanha, e até eles, os alemães, choraram o precoce adeus à copa do mundo, mas eles podem dar-se ao luxo dessa reação, pois o nível de corrupção da Alemanha (lá também tem) é baixíssimo.

Eu morei alguns anos na Alemanha por causa de trabalho… Eu morei em Berlim, na famosa avenida Shourrounser-Alle e constatei de perto o que faz a impiedosa Bundespolizei (Polícia Federal Alemã)… Eles invadem as casas e prendem sem direito a choro ou ranger de dentes (muito menos presepada, tipo prisão do Lula) qualquer político envolvido ou suspeito de corrupção. E la nas antigas terras da Germânia não tem o benevolente STF tupiniquim: Metem na cadeia e jogam as chaves fora, no meio do Mar Báltico, que é para ninguém encontrar.

O que eu vou te contar não é piada e não é estória, isso realmente aconteceu na Alemanha: O membro do partido de extrema-esquerda Die Linke, Frank-Michael John, foi preso em flagrante por furtar um rolo de papel higiênico da Prefeitura de Stralsund, no norte do país. Isso aconteceu em 2011. Foi preso por que roubou um (hum) rolo apenas e foi para a cadeia.

Mas aqui nós temos uma celebridade: o senhor Gatuno Molusco da Silva, o maior ladrão nacional e que já foi presidente do Birmesquistão de Alice e seu país… Estou falando em parábolas por orientação do Jurídico da empresa que trabalho… Roubou, roubou e roubou e ainda participou de um reality show para ir para a cadeia com direito a helicóptero e chegada triunfal de Papai Noel…

Mas por aqui a realidade é diferente: Os maus políticos podem roubar de papel higiênico a bilhões de reais, e mesmo assim, existem os mandados de segurança, as liminares e os intermináveis recursos que deixam livres os políticos desonestos e fazem os brasileiros reféns dessa corja de maus políticos…

Estou começando a me convencer que a volta dos militares ao poder seria uma boa solução…

Léo Vilhenna
Comentarista Político