O verdadeiro jornalismo deve ser imparcial

Eu estou cobrindo a política à muitos anos, e posso dizer claramente que já vi de tudo nesse meio recheado de maldades, picaretagens e acertos, repletos de bichos, monstros e ladrões, mas, sei que ainda verei muitas atrocidades cometidas pelos maus políticos pois eles existem e em profusão. Existem os políticos honestos e sinceros, mas eles são poucos no meio da multidão de gatunos. Daqueles que fazem da Lei de Gérson a sua vida.

Juntos com eles, como se fossem mordidos pelo mosquito da perversidade, existem os maus jornalistas que se vendem a preço de banana e outros à preço de vários caminhões de bananas (espero que você entenda a analogia).

Em especial, conheço uma empresa jornalística que vi dar os seus primeiros passos no mercado publicitário e jornalístico e vi crescer em nosso meio, e que a cada dia que recebo atualizações desse determinado veículo de imprensa, me causa nojo, repulsa e ojeriza.

E por que eu digo isso?

Por causa de suas pautas tendenciosas, orquestradas e manipuladas com o fim de manipular e desorientar a sociedade brasileira, que acaba não percebendo que está sendo induzida com tendenciosas e mentirosas informações de uma imprensa marrom bancada por partidos políticos asquerosos.

Mas por que estou dizendo isso?

Eu estava deitado às 04h40 deste domingo (24) quando eu recebi a informação sobre uma grande reportagem que será pauta e capa neste domingo, do jornal que eu estou falando (não posso citar o nome pois ‘processos’ seriam a menor de minhas preocupações), e ela dirá que alguns ministros do STF andam dizendo nos bastidores que a prisão do condenado em todas as instâncias do judiciário, Luís Inácio Lula da Silva, é ilegal e ele é uma espécie de preso político. Eu tive que levantar e vir escrever esse meu desabafo.

Essa reportagem mentirosa ainda dirá que o Ministro do STF Marco Aurélio Mello confirma uma suposta ‘ilegalidade’ na prisão de Lula e que o Ministro Edson Fachin, também do STF, promove armações para manter Lula na cadeia… TUDO MENTIRA.

Vamos ao fatos verdadeiros:

Lula está preso por que desviou e recebeu propinas e vantagens indevidas durante e após a sua presidência e isso está provado nos autos dos inúmeros processos que responde criminalmente e outros que ainda tramitam em diversas esferas judiciais.

Os 398 advogados de Lula já recorreram ao STJ, STF, Tribunal de Aia (O Tribunal Internacional de Justiça ou Corte Internacional de Justiça é o principal órgão judiciário da Organização das Nações Unidas), a própria ONU, a Deus e ao diabo, e o cachaceiro de São Bernardo continua preso, pois todos os órgãos internacionais de direitos humanos concordam que a prisão do sapo barbudo foi legal e justa, e que a sua temporada na ‘colônia de férias do Tio Moro’ preenche todos os pré-requisitos de um processo legal. Então podemos chegar a duas conclusões lógicas: Ou realmente Lula é um criminoso e está pagando por seus atos nefastos ou existe um complô mundial contra o ‘inocente e pobre coitado’ do Luís. Se você acredita em fábulas, fique com a segunda opção.

A repulsa que me causa em perceber que determinados veículos jornalísticos tendem a manipular a opinião pública cresce quando descubro que essa manipulação tem haver com ‘doações espontâneas’ e mensais de R$ 1.000.000,00 (hum milhão de reais) que são recebidos em espécie em locais secretos a fim de bancar essas ‘notícias’, e isso não é ilação ou suposição de minha parte, eu tenho fontes seguras que me confirmam a veracidade e a existência desse esgoto no meio da lama, desses pagamentos ‘bondosos’.

Eu já fiz a cobertura jornalistica do Senado Federal em Brasilia, da Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, da Câmara dos Vereadores de Londrina e da Câmara dos Vereadores de Campo Grande no Mato Grosso do Sul, e por onde eu passei JAMAIS foi processado por que nunca criei falsas notícias ou ‘barrigas’ (termo jornalistico para comunicar fatos inverídicos) e JAMAIS sofri repreensão por aumentar ou distorcer fatos jornalísticos e políticos, eu sempre escrevi a notícia de fato como ela é.

Vou te dar um grande exemplo:

No dia 15 de maio de 2014, em Campo Grande – Mato Grosso do Sul, quando o Prefeito Alcides Bernal (PP) foi reconduzido ao cargo por força de uma liminar, o único jornalista que ele permitiu a entrada em sua sala particular, que ficava dentro do seu gabinete, fui eu... Era o encontro entre o Prefeito e seus assessores mais próximos e vereadores da base para alinhar os próximos passos políticos. E por que ele permitiu que eu entrasse? Porque ele sabia e sabe que eu jamais contaria o que ouviria e se houvesse a necessidade de informar a população de Campo Grande de algum fato verdadeiro, eu iria noticiar do jeito que ele é: com verdade, isenção e imparcialidade. O Bernal sempre acreditou na minha forma de trabalhar.

Alcides Peralta Bernal (PP) e os vereadores da Base

Me causa nojo perceber que ‘colegas’ de profissão manipulam as informações para satisfazerem determinados grupos políticos em troca de ‘agrados’ e em troca de ‘amizades’.

Um veículo jornalístico não deve tender para grupos políticos de Direita, Esquerda ou Centro, da base ou da oposição: O verdadeiro jornalismo deve ser imparcial, verdadeiro e honesto com os seus leitores e deve informar para a opinião pública, os fatos como eles são de verdade, e devemos deixar que os leitores façam os seus julgamentos e análises.

Assim que deve ser.

Léo Vilhenna
Comentarista Político