STF ‘amigão’: Liminar manda soltar Eduardo Cunha

O ministro do STF Marco Aurélio Mello acaba de deferir (16h12) uma liminar para libertar Eduardo Cunha.

O ex-presidente da Câmara, contudo, continuará preso em Curitiba.

Motivo: os advogados de Cunha, Pedro Ivo Velloso e Ticiano Figueiredo, conseguiram o habeas corpus para um dos dois casos em que o ex-deputado está condenado.

A  liminar concedida hoje por Marco Aurélio refere-se às investigações da Operação Manus, em que Cunha e Henrique Eduardo Alves foram condenados por atuar em favor de empreiteiras nas obras da Arena Dunas, em Natal. As propinas neste caso somam R$ 11,5 milhões.

Cunha tem outra condenação por seu envolvimento em desvios em investimentos do FI-FGTS.

Lauro Jardim
Jornalista | O Globo